Exposição " A Sul. O Sombrero "

 Grande sucesso da Exposição" A Sul. O Sombrero no Memorial" Agostinho Neto

A sala de exposições do Memorial Agostinho Neto estava completamente cheia quando a artista alemã residente em Luanda, Iris Buchholz Chocolate inaugurou no dia 13.10.2016 a sua exposição "A Sul. O Sombrero ". A exposição foi nomeada segundo o livro do escritor angolano Pepetela e dedica-se ao difícil tema da escravatura e da extinção dos povos indígenas da América do Sul e questiona as consequências e trauma do domínio colonial no ‘Aqui e Agora’. A Iris Buchholz incentivou em peças de exposição magnificamente trabalhadas e instalações impressionantes, a discutirmos os “temas, sobre os quais ninguém fala” (citação do folheto da exposição). Parte integrante da exposição é a instalação de som "pele de tatu" do compositor angolano Victor Gama, que une ruídos da floresta tropical, entre outras coisas, à imitação de vozes humanas de cantos de pássaros.

A exposição é acompanhada por um programa de ensino que visa possibilitar a jovens angolanos aceder a estas questões, que marcaram a história de África, América e Europa. No seu discurso de abertura o representante do Ministério da Cultura de Angola enalteceu o elevado valor educativo da exposição. O Embaixador Rainer Müller comentou: "Precisamos de conhecer o passado para entender o presente e assim podermos tomar as decisões certas para o futuro." A inauguração da exposição foi acompanhada de um desempenho empolgante com música, textos e canto, apresentada pela Irina Vasconcelos, uma das vozes mais conhecidas do jazz, rock e soul angolano.

A exposição é apoiada pelo Instituto Goethe, a Embaixada da Alemanha em Luanda e por vários patrocinadores empresariais. A mesma ainda poderá ser vista até dia 27.11.2016 e será eventualmente prolongada. Agradecimentos especiais vão para o Memorial Agostinho Neto, pela disponibilização das suas instalações.

 

 

A Sul. O Sombrero

A Sul.O Sobrero

A Sul. OSombrero

A Sul. OSombrero